quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Dunkleosteus

Créditos: Felipe Arias.
Nome: Dunkleosteus ("Ossos de Dunkle")
Época: Devoniano
Local: América do Norte, Europa e África

 Dunkleosteus foi um gênero de peixes placodermos que habitaram os mares da América do Norte, Europa e norte da África entre 382 a 358 milhões de anos atrás, durante o período Devoniano. O primeiro fóssil de dunkleosteus foi descoberto em 1867 em Ohio, nos EUA, e foi nomeado em 1873 como Dunkleosteus terrelli (sendo originalmente chamado de Dinichthys). O nome "Dunkleosteus" é uma homenagem a David Dunkle, o diretor do setor de paleontologia do Museu de História Natural de Cleveland na época de sua descoberta. "Terrelli" é uma homenagem ao seu descobridor, o geólogo Jay Terrelli. Os únicos fósseis encontrados até hoje são crânios; isso porque o dunkleosteus é um peixe placodermo e, como todo placodermo, a única parte óssea de seu corpo é a carapaça craniana. Hoje, mais de 8 espécies deste gênero são conhecidas, descritas a partir de fósseis encontrados nos Estados Unidos, Canadá, Polônia, Bélgica e Marrocos.


 O tamanho dos dunkleosteus variava de espécie para espécie. A maior delas, a D. terrelli poderia medir entre 6 e 10 metros de comprimento e pesar entre 1,1 e 3 toneladas. Era o maior predador aquático de sua época, estando no topo da cadeia alimentar e habitando grande parte dos mares rasos do planeta. Outras espécies eram bem menores, sendo que a menor de todas, a D. raveri, media apenas 1 metro de comprimento.

 Sua carapaça protegia a cabeça e o peito; e era quase impenetrável. Seus "dentes" eram, na verdade, parte de sua carapaça e funcionavam como um guilhotina serrilhada, que dilacerava suas vítimas. Sua mordida era extremamente poderosa, com 7.400 newtons de força. Ele nadava próximo às regiões costeiras, caçando qualquer coisa que fosse capaz de abocanhar; como moluscos, peixes, artrópodes marinhos, tubarões primitivos e até mesmo dunkleosteus menores. Quando foi extinto, a lacuna deixada pelo dunkleosteus foi ocupada pelos tubarões.


Na Cultura Popular:

  • Na TV, o dunkleosteus ficou famoso por aparecer na série documental Walking With Dinosaurs: Sea Monsters, da BBC.
  • Nos videogames, esse animal aparece em Jurassic Park Builder, Jurassic World: The Game e Ark: Survival Evolved



Galeria:

Até agora, apenas as carapaças cranianas dos dunkleosteus foram encontradas fossilizadas, às vezes junto com material estomacal regurgitado. O resto do seu corpo foi reconstruído a partir de fósseis conhecidos de peixes placodermos menores, como o coccosteus. Réplica do crânio de um dunkleosteus no Museu de História natural de Vienna, Áustria (Foto: Zachi Evanor).


O dunkleosteus foi o predador de topo de cadeia dos mares devonianos, provavelmente ocupando um nicho ecológico semelhante aos dos tubarões de hoje em dia. Tudo estava em seu cardápio: peixes, moluscos, artrópodes marinhos, tubarões e qualquer coisa que conseguisse abocanhar. Na imagem, um dunkleosteus persegue um tubarão primitivo (Créditos: Tuomas Koivurinne).


Classificação Científica:


Reino: Animalia.
Filo: Chordata.
Classe: Placodermi.
Ordem:  Arthrodira.
Família:  Dunkleosteidae.
Gênero:  Dunkleosteus.
Espécies:  Dunkleosteus terrelli,  D. ? belgicus,  D. denisoni,  D. marsaisi,  D. magnificus ,  D. missouriensis,  D. newberryi,  D. amblyodoratus,  D. raveri.




Fontes:

1. Documentário Walking With Dinosaurus: Sea Monsters; BBC.
2. Livro Enciclopédia dos Dinossauros e da Vida Pré-Histórica; Dorling Kindersley.
3. AVPH - Atlas Virtual da Pré-História;
4. Wikipedia;
5. Dinopedia;
6. Prehistoric Wildlife.
7. Mundo Pré-Histórico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário