terça-feira, 20 de março de 2018

Anquilossauro

Nome: Anquilossauro ("Lagarto Fundido").
Nome Científico: Ankylosaurus magniventris.
Época: Cretáceo.
Local: América do Norte.

 O anquilossauro foi descoberto em 1906 por uma expedição do Museu Americano de História Natural, organizada pelo paleontólogo Barnum Brown, à famosa Formação Hell Creek, Montana, EUA. Esse primeiro fóssil era composto por parte de um crânio, costelas, vértebras, ossos do ombro e parte de uma armadura óssea. Porém, fragmentos da sua couraça já haviam sido encontrados 6 anos antes pelo próprio Brown, mas foi só após a descoberta de 1906 é que a identidade do dinossauro finalmente foi revelada. Ele habitou a América do Norte bem no final do período Cretáceo, entre 70 e 65 milhões de anos atrás.

  O anquilossauro é o maior dinossauro blindado conhecido, além de ter emprestado seu nome a todo um grupo de dinossauros. O maior espécime descoberto tinha 6 metros de comprimento, mas estimativas recentes sugerem que o animal pudesse medir entre 8 e 10 metros de comprimento e pesar quase 5 toneladas! Seu nome "Lagarto Fundido" faz referência aos diversos ossos do crânio e do corpo que se fundiam para formar sua armadura.

 Seu crânio era muito bem protegido, com uma armadura óssea e 4 chifres que despontavam das laterais, dois apontavam para cima e dois para baixo. A parte de cima do seu corpo era protegido por dezenas de osteodermas, calombos e espinhos, feitos de queratina, que se fundiam criando uma armadura quase impenetrável. Diversos modelos da forma em que a armadura se arranjava no corpo do anquilossauro foram propostas, mas o mais aceito foi o modelo recente proposto em 2017 pelos cientistas Victoria Arbour e Jordan Mallon.


Estes são os diferentes modelos de armadura que foram sugeridos desde 1908. A versão mais recente foi proposta por Arbour e Mallon em 2017, é atualmente é a versão mais aceita.

 Porém, sua armadura não cobria o corpo todo, deixando sua barriga vulnerável. Um predador grande que conseguisse virá-lo de barriga para cima não teria dificuldade nenhuma em abater um anquilossauro, que provavelmente não conseguiria se desvirar sozinho.

 Suas pernas eram muito fortes, pois precisavam sustentar o enorme peso de seu corpo e da sua armadura. Mas elas também eram curtas, e isso, aliado ao seu peso, transformavam o anquilossauro em um animal lento e pouco ágil. Mas isso não era exatamente um problema para sua sobrevivência, tendo em vista todas as suas defesas. Além disso, suas pernas também eram protegidas por pequenas osteodermas.

 Herbívoro, se alimentava de plantas baixas, já que não tinha acesso a vegetação mais alta, as quais triturava com seus dentes em forma de folha, perfeitos para mastigar até as plantas mais duras. O registro fóssil indica que os anquilossauros adultos não eram animais sociáveis, provavelmente mantendo-se isolados até a época de reprodução. Porém, evidências sugerem que animais jovens poderiam ter se reunido em pequenos grupos para se protegerem melhor contra predadores.

 As últimas 7 vértebras da cauda do anquilossauro se fundiam junto a três osteodermas (dois maiores nas laterais e uma menor na ponta) e assim formavam sua icônica clava óssea, sua principal arma de defesa. Curiosamente, apenas uma clava foi encontrada até hoje, e ela media 60 centímetros de comprimento, 49 cm de largura e 19 cm de altura. Apoiada em uma cauda musculosa, essa clava servia como defesa contra predadores. Um único e preciso golpe tinha força o suficiente para quebrar a perna ou a mandíbula de um tiranossauro, o maior predador da região. Predadores menores, como o troodon, o dakotaraptor e o acheroraptor, poderiam inclusive serem mortos com um único golpe de sua clava. Além de defesa, a clava do anquilossauro poderia servir também em disputas entre membros da própria espécie, fosse por parceiros ou território. Deveriam ser disputas brutais, mas a armadura desses animais era forte o suficiente para resistir aos impactos.


Na Cultura Popular:

  • Anquilossauro como aparece em
    Jurassic World: O Mundo dos
    Dinossauros.
    No cinema, o anquilossauro aparece brevemente em Jurassic Park III e com mais detalhes em Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros. Na animação Dinossauro, da Disney, um dos personagens é um anquilossauro chamado Url, que se comporta de forma semelhante a de um cachorro. Esse animal ainda aparece em Era do Gelo 3 e em diversos filmes da saga Em Busca do Vale Encantado.
  • Na TV, o anquilossauro já apareceu em diversos documentários, como em O Fim dos Dinossauros e no último episódio de Caminhando com Dinossauros, onde ele quebra a perna da mãe T-rex que protagonizava o episódio. Ele ainda aparece em séries animadas como o anime Dinossauro Rei e no programa infantil Dino Trem.
  • Nos jogos, ele faz aparições em Jurassic Park: Operation Genesis, Ark: Survival Evolved, Saurian, Mezozoica, Jurassic Park Builder, Jurassic World: The Game, Zoo Tycoon 2: Extinct Animals e em Jurassic World Evolution.
  • Sua aparência de "tanque de guerra biológico" lhe rendeu um espaço entre os dinossauros mais icônicos da cultura pop.

Galeria:


Um único golpe de sua clava óssea seria o suficiente para quebrar a perna ou a mandíbula de um T-rex, incapacitando, ou até matando, seu atacante.















O registro fóssil indica que os anquilossauros adultos eram animaissolitários. Porém, os mais jovens poderiam ter se reunido em pequenos grupos para se protegerem melhor de predadores.






















Classificação Científica:


Reino: Animalia.
Filo: Chordata.
Clado: Dinosauria. 
Ordem:  Ornithischia.
Família:  Ankylosauridae.
Gênero:  Ankylosaurus.
Espécies:  Ankylosaurus magniventris.




Fontes:
Wikipédia
Blog do Ikessauro
Scientific America

2 comentários: