quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Doedicurus

 Nome: Doedicurus ( Cauda de pilão )
Nome Científico: Doedicurus Clavicaudatus
Época: Pleistoceno
Local: América do Sul e do Norte

 Seus primeiros fósseis foram encontrados na América do Sul por Hermann Burmeister. Atualmente, fósseis de doedicurus são encontrados tanto na América do Sul quanto na do Norte, em especial na Formação de Ensenada na Argentina.




 O doedicurus foi um ancestral dos atuais tatus e da mesma família do gliptodon. Diferente de seus parentes atuais, o doedicurus tinha 4 metros de comprimento e por volta de 1,5 de altura ( do chão até a parte mais alta da armadura ). Provavelmente pesava quase 1 tonelada.
 Sua armadura é grande e resistente, protegendo quase 90% do corpo do animal e que era firmemente ancorada ao corpo. É provável que ele tivesse uma corcova logo acima dos ombros onde ficava armazenada gordura, semelhante aos camelos atuais. 
 Na ponta de sua cauda havia uma clava com vários espinhos que utilizava para se defender de predadores e duelar com rivais. Até hoje não se sabe ao certo se todos os membros da espécie possuíam essa arma ou se ela era exclusiva dos machos.
 Viveram a 11.000 anos atrás nas florestas e pastagens americanas onde se alimentavam de vegetação rasteira. Seus principais predadores podem ter sido o smilidon e o phorusrhacus.
 Sua extinção, assim como boa parte da mega fauna do plesitoceno, deve-se as drásticas mudanças climáticas que ocorreram no final deste período.

Galeria:

Clique nas imagens para ampliar.

 



Nenhum comentário:

Postar um comentário