quinta-feira, 23 de abril de 2015

Pesquisa revela diferença entre machos e fêmeas de estegossauro


 Evan Saitta de 23 anos revelou, em seu trabalho de graduação no curso de paleontologia na Universidade de Princeton, que existia diferenças entre machos e fêmeas da espécie Stegosaurus Mjosi, que habitou a América do Norte à aproximadamente 150 milhões de anos atrás. A notícia saiu pela revista científica PLoS One.

 De acordo com Saitta, o macho dessa espécie tinha placas dorsais grandes e arredondadas, enquanto as das fêmeas eram 45% menores e pontiagudas. No mundo natural, a diferença na aparência entre os gêneros é chamada de "dimorfismo sexual" e é extremamente comum entre animais e até algumas plantas. Porém, determiná-la em animais extintos é uma tarefa surpreendentemente difícil, já que não há como saber se trata-se de um gênero diferente ou uma nova espécie, como era o caso do Stegosaurus Mjosi que diziam serem de espécies diferentes.

Stegosaurus Mjosi: macho tinha placas dorsais grandes e arredondadas,
enquanto as das fêmeas eram menores e pontiagudas.


 Para chegar a esta conclusão, Saitta passou seis temporadas na região central de Montana, Estados Unidos, com uma equipe de escavação onde descobriu o primeiro "cemitério" de fósseis de estegossauro. A grande quantidade de fósseis e seu bon estado de conservação, permitiu a Saitta refutar a teoria de que eram duas espécies diferentes. Para ele, se fossem duas espécies distintas, haveria diferenças nos esqueletos que indicaria uma separação de nichos ecológicos. Além disso, Saitta concluiu que não se tratava de diferença de idade ( um jovem e outro adulto, por exemplo ) já que o crescimento de tecido ósseos eram iguais, assim, ambos estariam na mesma faixa etária.

 "Como os machos tipicamente investem mais em sua ornamentação, as placas dorsais mais amplas provavelmente pertenciam a eles. Essas placas mais extensas deviam fornecer uma grande superfície de exibição para atrair fêmeas. As placas mais altas e pontiagudas provavelmente funcionavam como uma proteção espinhosa contra predadores, para as fêmeas" diz Saitta.

Stegosaurus Mjosi defende seu filhote de um grupo de alossauros.

Fonte: Estadão

Nenhum comentário:

Postar um comentário