domingo, 22 de fevereiro de 2015

Phorusrhacos

Nome: Phorusrhacos ("Portador de Rugas")
Nome Científico: Phorusrhacos longissimus
Época: Mioceno
Local: América do Sul

 O primeiro fóssil descoberto de um phorusrhacos foi um pedaço da mandíbula encontrado na Formação Santa Cruz, na Argentina, em 1887 por Florentino Ameghino. Ameghino inicialmente descreveu o animal como um mamífero desdentado. Apenas em 1891 ele foi reconhecido como uma ave. Sua mandíbula possuía "rugas", daí seu nome "portador de rugas".



 O phorusrhacos pertence ao grupo das chamadas "Aves do Terror", um grupo formado por aves não voadoras gigantes com hábitos predatórios. Ele vivia em pradarias e bosques da América do Sul (em especial, na Argentina) onde caçava pequenos mamíferos e répteis, além de também se alimentar de carcaças de animais recém abatidos e filhotes de animais maiores.

 Seu bico curvo era perfeito para abater suas presas, mesmo durante uma corrida. As garras de sua patas traseiras também eram armas mortais, podendo perfurar e rasgar a carne da vítima. Podia atingir grandes velocidades, o que permitia que alcançasse mesmo o animal mais rápido ou fugir de outros predadores.

 Durante muito tempo, os phorusrhacos e as outras aves do terror foram os principais predadores terrestres da era Cenozóica. Porém, eles não foram capazes de competir com felinos, como o smilidon, melhores adaptados, o que pode ter levado eles até a extinção. Atingia até 3 metros de altura e pesava 130 Kg.





Classificação Científica:


Reino: Animalia.
Filo: Chordata.
Classe: Aves
Ordem: Cariamiformes.
Família:  Phorusrhacidae.
Subfamília:  Phorusrhacinae.
Gênero:  Phorusrhacos.
Espécies:  Phorusrhacos longissimus.





Fontes:
Documentário Walking With Beasts; BBC.
Série Parque Pré-Histórico; Ep. 4 Salvando o Dente de Sabre.
Sites: Atlas Virtual da Pré-História; Dinopedia; Prehistoric Wildlife; Wikipedia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário