domingo, 8 de fevereiro de 2015

Elasmotherium

Nome: Elasmotherium (Besta de camadas)
Nome Científico: Elasmotherium sibiricus
Época: Pleistoceno
Local: Ásia e parte da Europa

 O elasmotherium foi descrito pela primeira vez graças a uma mandíbula, encontrada na sibéria em algum ponto dos anos 1800. Seu descobridor e nomeador foi Johann F. Von Waldheim, um russo, que o nomeou de Elasmotherium sibiricus. "Elasmo" significa "camadas", isso porque seus molares (uma das únicas partes encontradas de seu fóssil) tinham várias camadas. "Therium" significa "besta". Após os anos de 1800, novos fósseis foram encontrados, dessa vez um crânio e seu chifre.

File:Elasmotherium sibiricum 34.JPG

 O elasmotherium ( vulgarmente chamado de rinoceronte de chifre grande ) foi um ancestral dos rinocerontes que habitou o norte da Ásia e Europa durante o período pleistoceno, bem no meio da chamada "era do gelo". Era adaptado ao clima frio, possuindo uma grossa camada de gordura e uma boa cobertura de pelos longos e grossos.
 Ele se diferenciava de outras espécies de rinocerontes por seu longo e único chifre que ficava entre os olhos e podia atingir até 2 metros de comprimentos. Era uma arma excelente contra seus predadores, apesar de improvável que um elasmotherium adulto tivesse predadores naturais, com exceção, é claro, do Homo Sapiens. É possível que o crânio fossilizado deste animal pode ter sido a inspiração para o mito do unicórnio.
 Ele media 3,4 metros de altura e 4 metros de comprimento, podendo pesar até 6 toneladas.

Galeria ( Clique nas imagens para ampliar ):


 

 

 




Fontes:
Série Parque Pré-Histórico; Ep. 02 Resgatando o Mamute; Focus Filmes
Sites: Dinopedia; Atlas Virtual da Pré-História; Wikipedia

Nenhum comentário:

Postar um comentário