quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Dunkleosteus

Nome: Dunkleosteus (ossos de Dunkle)
Nome Científico: Dunkleosteus terrelli
Época: Devoniano
Local: América do Norte, Europa e norte da África

 O primeiro fóssil de dunkleosteus foi descoberto em 1867 em Ohio nos EUA. Dunkleosteus é uma homenagem à David Dunkle, o diretor do setor de paleontologia do Museu de História Natural de Cleveland na época de sua descoberta. Terrelli é em homenagem ao seu descobridor, o geólogo Jay Terrelli. Os únicos fósseis encontrados até hoje são crânios. Isso porque o dunkleosteus é um peixe placodermo e, como todo placodermo, a única parte óssea de seu corpo é o crânio.


 Os dunkleosteus foram um dos maiores peixes que já existiram, medindo até 9 metros de comprimento e pesando cerca de 3 toneladas. Era o maior predador aquático de sua época, estando no topo da cadeia alimentar e habitando grande parte do oceano.
 Sua carapaça era quase impenetrável. Ela protegia a cabeça, os ombros e o peito. Seus "dentes" (que eram, na verdade, parte de sua carapaça) eram serrilhados como um serrote e dilaceravam a vítima. Ele nadava próximo às regiões costeiras, caçando qualquer coisa que fosse capaz de abocanhar, como moluscos, peixes, tubarões primitivos e até mesmo dunkleosteus menores. Quando foi extinto, a lacuna deixada pelo dunkleosteus foi ocupada pelos tubarões.

Dunkleosteus terrelli caçando amonitas



Fontes:
Documentário Sea Monsters
Livro Enciclopédia dos Dinossauros e da Vida Pré-Histórica; Dorling Kindersley
Sites: Atlas Virtual da Pré-História; Wikipedia; Dinopedia; Prehistoric Wildlife.

Nenhum comentário:

Postar um comentário